[GUEST POST] Ativista gay Anderson África manda mensagem motivacional

 

https://www.facebook.com/DinhoEscritorhttps://www.facebook.com/AndersonFrancaDinho

Nosso amigo Anderson África andou sumido e chegou até a apagar suas páginas do Facebook, mas mais uma vez ele pede espaço no nosso humilde Rio de Nojeira. Vou colocar suas palavras motivacionais entre aspas abaixo.

“É, pela saúde.
Sigo, pensando, que somos todos bonitos, como somos. Mas eu, precisei agir a vida, porque já estava bem, doente.
Aos que sentem, que precisam se cuidar, deixo essa mensagem, pra motivar, mesmo.

Não sou adepto, e não serei, dessa seita, do corpo. Dessa necessidade, e insegurança de viver, postando o corpo, enquanto única ideia, que você tem pro mundo. Tenho, preguiça de gente, que posta os kilometros, que corre, a série, que fez, o crossfit, da manhã, a bananinha, do almoço.

Eu falo, pros meus amigos, se cuidem.
Hoje, vivo melhor, e, é só metade, do caminho. Cortei, açúcar, refrigerante, massas e, revi quantidades. Faço, exercícios moderados. E a vida, reagiu.

Vamos nos cuidar.
Bom dia. Feliz 88.”

Leiam os posts anteriores de nosso macaco de estimação:

Direito de resposta: Administrador de página no Facebook e ativista gay Anderson França

 

”O macaco que não sabia descascar bananas”

 

FONTE ALTERNATIVA PARA CONTORNAR CENSURA DO JUDICIÁRIO:  http://telegra.ph/GUEST-POST-Ativista-gay-Anderson-%C3%81frica-manda-mensagem-motivacional-05-05-2

”O macaco que não sabia descascar bananas”

| https://www.facebook.com/AndersonFrancaDinho |

Caros Confrades, a grande dificuldade em tentar dialogar com prectos está em fazer com que eles entendam frases curtas. A real é que nem desenhando eles conseguem entender.

Quando criei o site, o fiz para ser um oásis de liberdade de expressão, uma zona neutra onde qualquer pessoa possa expressar o que sente, sem medo de punições e perseguições. Considero este site uma banana, que ofereço aos macacos, e o único trabalho que eles têm é o de descascá-la.  Anderson Rodésia que tanto reclama de censura, não conseguiu descascar a banana que lhe dei.  Preferiu enfiá-la no cu, como todo macaco homossexual. Hoje ele me enviou mais uma parede de texto (desses cheios de erros gramaticais e excesso de vírgulas) reclamando da oportunidade que lhe dei para se manifestar aqui no site.  Mais uma vez, recomendo um Estomazil após a leitura: Continue lendo “”O macaco que não sabia descascar bananas””

Direito de resposta: Administrador de página no Facebook e ativista gay Anderson França

| Anderson França (direita) ao lado do seu namorado e tambem ativista gay Guilherme Perez (esquerda)| https://www.facebook.com/AndersonFrancaDinho e https://www.facebook.com/guilhermecperez |

Depois de toda a repercussão dos últimos dias, resolvi abrir um espaço para que as ”vítimas” dos textos deem a sua opinião.

Sim, aqui é uma democracia, sem essa de politicamente correcto ou censura de SJW esquerdista.
Começo postando um texto enviado por ninguém menos que Anderson França, o qual eu chamo carinhosamente de ANDERSON ÁFRICA ou MISTER MACUNAÍMA.

Ao final do texto darei meu parecer.

Tenham estômago.

Continue lendo “Direito de resposta: Administrador de página no Facebook e ativista gay Anderson França”

O NEGRO QUE QUERIA SER BRANCO

Washington era um negro como outro qualquer, nascido na favela, pobre, sujo, ignorante, mas tinha algo que o diferenciava dos outros negros, ele queria progredir, queria ser que nem um branco.

Assim Washington, conscientizou-se que para ser que nem um branco, deveria superar sua própria ignorância, deveria adotar princípios básicos de educação e civilidade, deveria também cuidar da higiene pessoal.

Washington então passou a esforçar-se para deixar seus hábitos de negro, passou a estudar intensivamente para eliminar seu analfabetismo, passou a tomar banho pelo menos uma vez a cada dois dias, aprendeu a usar talheres, e foi gradativamente deixando de buscar o álcool, as drogas e o crime.

Em um período de três anos, vimos o progresso, Washington já sabia ler, coisa que poucos negros sabem.

Porém, ousado, Washington partiu para um projeto ambicioso, completar o ensino fundamental, coisa que nenhum negro tinha alcançado antes.

Washington era obstinado, estudava praticamente 24 horas por dia, não desgrudava dos livros, não fazia nada além de estudar.

O resultado foi surpreendente, Washington conseguiu completar o ensino fundamental repetindo apenas oito anos (índice de repetência baixo ou nulo, considerando que era um negro), o mundo inteiro se surpreendeu, um negro tinha o ensino fundamental.

Porém Washington, queria era ser branco, e só o ensino fundamental não bastava, então Washington declarou ao mundo que iria fazer o ensino médio.

A população ficou estupefata, não acreditavam que tal evento poderia acontecer, riam de Washington, diziam que o deslumbre do ensino fundamental lhe subira a cabeça a ponto de ter devaneios, Washington não deu bola e continuou com seu projeto ambicioso.

Washington estudava que nem um louco, se o dia tivesse 32 horas, 32 horas por dia ele estudaria, lançava-se aos livros com uma voracidade jamais vista, tanto esforço foi reconhecido, Washington conseguiu completar o ensino médio em 15 anos (tempo espetacular para um negro, visto que a maioria dos negros demoram décadas apenas para aprender a ler).

Mais uma vez o mundo viu-se espantado diante do fenômeno Washington, matemáticos fizeram um cálculo, que o negro com o seu nível de inteligência, só conseguiria completar o nível médio se vivessem 500 anos, e Washington tinha apenas 40 anos de idade, e já tinha o nível médio.
Continue lendo “O NEGRO QUE QUERIA SER BRANCO”