Confissões de um pedófilo

Já perdi a noção de qual foi o dia exato em que me tornei um pedófilo. Na maior parte da minha vida adulta eu namorava com mulheres acima dos dezoito como a maioria dos homens ingênuos da minha idade. Acontece que em todos os meus relacionamentos, inclusive no casamento, eu acabei sendo traído e humilhado pelas vadias, este fato possibilitou que os trolls da internet me apelidassem de Cuck Nobre.

Fui julgado, condenado e humilhado por centenas de pessoas pelos erros das minhas parceiras. Elas que arrumavam amantes enquanto estavam comigo, elas que deram para quem eu considerava meus amigos, elas que quando pedia explicações me chamavam de corno manso. Mas o escárnio caiu em cima de mim.

Com o passar do tempo, mais o meu desprezo pelas mulheres aumentava e, proporcionalmente, crescia minha atração pelas meninas. Aqueles corpos lisinhos, os olhares inocentes e os peitos durinhos de uma flor desabrochando acabou se tornando o meu ideal de feminilidade. Só de escrever essas linhas tive uma ereção de pedra!

Claro que por muitos tempo eu me sentia culpado, afinal, vivemos em uma sociedade burguesa e cristã que considera o meu prazer proibido. Quem finalmente me livrou da consciência pesada foi o meu amigo e colega de blog Ricardo Wagner, que no meio de algumas carreiras de cocaína lançou uma frase que nunca esquecerei: “Sexo não tem idade”.

Não sei se é porque excitado ou por causa da cocaína na cabeça, mas agora fiquei com vontade de contar tudo pra vocês, vai lá. Minha profissão de enfermeiro é apenas por diversão, já ganho o suficiente para me manter com as doações dos meus inscritos. No hospital canadense onde trabalho toda menina bonitinha tem que passar pela mão do tio Izzy, daí é só perguntar onde está doendo e ir passando a mão boba. É na perninha? É no peitinho? É na bundinha? E segue a brincadeira. Elas adoram. Por isso que eu sempre aconselho meus colegas, chega dessa história de ser professor de educação física e vendedor de doces, temos que inovar sempre.

Teve uma vez que chegou uma menina aqui em coma, vocês tinham que ver que princesa. A pele branquinha, não era como a maioria das brasileiras que possuem aquela cor aparentando ter saído da privada, os cabelos de ouro e os olhos verdes como esmeralda. As duas semana e meia em que ela ficou internada foram as mais felizes da minha vida. Às vezes eu me pego pensando diante da janela se a minha bela adormecida sente saudades dos meus toques safados e dos meus beijos calientes.

Depois do trabalho é hora de caçar novinhas pelas ruas do Canadá. O grande segredo é roubar selinho da novinha sem tentar explicar nada, aquela coisa de deixar o coração falar. Por diversas vezes fui perseguido por pais incompreensíveis, mas também não foram raras as ocasiões em que fui recompensado com beijos de língua memoráveis. Acho que o medo de ser pego no ato também faz parte da emoção de ser pedófilo.

Antes de terminar gostaria de pedir um favor para quem deseja que o projeto continue. O blog é para falarmos sem preconceito sobre as minhas opiniões polêmicas, então não me pergunte as coisas que escrevo aqui em locais em que falo sobre games, pois irei negar tudo. Este é um espaço especial apenas para quem tem a mente aberta.

Autor: Izzy Nobre

Gostaria de pedir um favor para quem deseja que o projeto continue. O blog é para falarmos sem preconceito sobre as minhas opiniões polêmicas, então não me pergunte as coisas que escrevo aqui em locais em que falo sobre games, pois irei negar tudo. Este é um espaço especial apenas para quem tem a mente aberta.|| [email protected] |

4 pensamentos em “Confissões de um pedófilo”

  1. “Sexo não tem idade”

    Queria ter tido um amigo para me dizer isso quando eu tive muitas OPORTUNIDADES para realizar tal ato prazeroso.

Deixe uma resposta